Vizinho mala

É, eu sei. Morar em comunidade não é fácil, mas eu dou muita sorte. Aqui no meu lado das montanhas é todo mundo muito bacana e muito tranquilo, ninguém escuta funk no toco até às três da manhã, só um ou outro torcedor sem-noção dispara sua vuvuzela ou berra na varanda quando o time faz gol, a gente não ouve nem aquelas brigas de casais, com quebradeira e palavrões, que costumam agitar outras vizinhanças.

Meus vizinhos de chatô também são gente muito boa, procuramos manter aquela saudável cordialidade-com-distanciamento-seguro que nos faz dar bom dia, boa tarde e boa noite e trocar amenidades no hall de entrada. Temos os telefones uns dos outros para o caso de qualquer emergência e estamos sempre dispostos a dar uma mãozinha quando necessário, mas não passa disso.

Tantos anos de paz, harmonia e passarinhos cantando na janela, uma hora essa moleza tinha que acabar. Sabe aquele cerumano mala que você desejava com todas as forças do ‘seu-eu’ que morasse em Katmandu? O próprio. Ele agora habita entre nós. Quer dizer, já habitava antes e já era mala antes, era nele que eu pensava todas as noites quando eu rezava ‘não nos deixei cair em tentação, mas livrai-nos do MALA MAN’. E Deus não ouviu minhas preces, pelo jeito. Mas agora o sujeito não é mais inquilino, agora comprou o apartamento. Tanta gente legal no prédio que é inquilino e a gente torcia pra comprar um apartamento, justamente o mala foi comprar o que alugava. Pois é. A vida às vezes não é justa.

Tenho muita pena da vizinha que mora no apartamento de baixo e é a síndica da vez. Porque ela é uma pessoa finíssima e super-mega correta e lidar com gente encrenquinha é o fim da dinastia. Principalmente quando o ser em questão se julga o último biscoito do pacote e começa as sentenças com ‘Porque eu sou adEvogado’. E diz que vai começar a prestar atenção daqui pra frente porque agora é proprietário e vai exigir seus direitos. Hããh? Além de mala, parece que é doido. Aliás, bem que podia aproveitar essa história dos direitos e cumprir com os deveres, porque dessa parte ninguém gosta, né? Tipos pagar condomínio em dia e não com quase um mês de atraso, por exemplo, como ele costuma fazer.

Alguém aí conhece uma boa simpatia pra despachar elementos dessa espécie? Pode deixar a sugestão aqui nos comentários, os vizinhos agradecem penhoradamente a gentileza e consideração.

 

E mais:
Morando com o vizinho
Vizinhança

Anúncios

22 respostas em “Vizinho mala

  1. Mônica,
    se a culpa não for do Lula, é, seguramente, do aquecimento global.
    Tenho certeza que o MALA MAN é fruto de um desses dois fatores.

    Quer apostar um picolé de limão?

    Beijim,

    Stélio

  2. Ah Mônica… situação difícil essa, não? Pois é… não sei se existe simpatia pra esse tipo de coisa não. Eu não sei como é por “essas bandas” aí, mas, no tempo dos meus avós, quando alguém recebia uma visita desagradavelmente chata, costumava-se colocar uma vassoura atrás da porta. Diziam eles que em pouco tempo os visitantes arredavam o pé (ou como dizem meus meninos – alunos – na gíria de hoje: “vazavam logo”). Mas como não se trata de uma pessoa que está apenas de visita por aí (pois agora fincou terra, fixou moradia), acho que não vai funcionar muito não. A não ser que você queira tentar fazer isso. Em caso resposta positiva, sugiro que você compre logo um fardo de vassouras, pois como você falou o cara é um MALA que vale por uma fábrica inteira: com alça, sem alça, com rodinhas ou sem elas, estilo mochila etc etc etc. Acho que não ajudei muito, masi fica aqui o meu desejo de boa sorte e que tudo se resolva em PAZ e que MALAS na sua vida sejam apenas aquelas pra viagem ( a passeio é claro – srsrsrsrsrsrs) Bjos de montão

    • Você me deu uma boa ideia, Cláudio, acho que vale a pena testar. Vou correndo colocar a vassourada toda do prédio atrás de cabeça pra baixo atrás da porta na portaria (minha mãe dizia que tem que ser de cabeça pra baixo pra funcionar direitinho). Se der certo, te conto!

      • hahahahaaha… não sabia desse detalhe (vassoura de cabeça pra baixo)… hahahahaah. Bjos, minha linda.

  3. HUAHAUAHUA! Na minha antiga casa, tinha um vizinho que nos deixava acordado a noite inteira ao som de música dance… era um inferno… e então meu pai começou a jogar pedras (escondidamente) na telha do vizinho.

    Tanto foi, tanto foi… que o vizinho, sempre bêbado na sua libertinagem noturna, começou a dizer que havia ET’s pelo bairro… meu pai reforçou dizendo que ET’s nao gostam de barulhos… em menos de duas semanas, vizinho terminou com a libertinagem noturna.

    HUAHAUAHAUAHAU! Agora, na tua situação de prédio… é dificil mesmo… minha tia mora em prédio e o vizinho de cima sempre ficava a madrugada toda treinando JAZZ! Minha tia, com toda finesse, não sabia como falar com o vizinho. Minha prima, totalmente malandra, colocou uma caixa no correio do vizinho com um sapo totalmente estraçalhado e fedendo muito, tipo um vodoo, xingando horrores o vizinho… ele parou com as aulas de jazz noturna.

    São idéias né, Monica… escabrosas, mas são idéias.

    HAUHAUAHAUAH!

    Bjos, bom findi!

    • Hhhhmmm… a ideia do sapo até que seria boa, mas a caixa de correio aqui é conjunta lá fora, e a de dentro é aberta, só as prateleiras pra separar a correspondência. Aí eu ía acabar ‘cheirando’ o sapo também…

      O problema do vizinho não é que ele faz barulho ou dá festas até altas horas, é que ele é mala. Ponto. Dessas criaturas que devem ser mala no trabalho, no ponto do ônibus, na cadeira do dentista, na loja comprando roupa, no restaurante. Mala. Talvez uma lobotomiazinha??? 🙂

  4. Isso é castigo divino por vc ter perdido a cruz do Senhor!!!!
    Vire ateia. É a única solution!!!
    Sobre mandiga, ja ouvi faalr em jogar sal ao redor da casa, mas como vc mora em apartamento, deixa pra lá.
    Nao tem mais jeito. O cara comprou apartamento. Ja se fixou. É como um cancer. O jeito é convida-lo pras suas festas. Tornar amigo dele. Fique intima dele. Assim vc pode controlar a vida dele!!

    • Credo Asnalfa, tudo isso por conta de uma cruzinha? Mas a cruzinha foi depois, ele já era mala antes!!! 🙂

      Olha, sal em volta ía consumir uma quantidade medonha, será que dá se colocar só na frente da porta da casa dele? Pode ser qualquer um ou tem que ser sal grosso? Pode estar na promoção ou a gente tem que pagar o preço inteiro?

      Convidá-lo para as minhas festas? Sem chance, isso seria uma grande sacanagem com os meus convidados. Eu até que mantenho uma convivência super tranquila com ele e a família, porque é difícil me tirar do sério nessas coisas. Mas que eu acho ele mala, acho. Sabe essas pessoas que a gente tem que se esforçar pra ser simpáticas com elas, porque afinal de contas é vizinho? Então, é tipo isso. E ficar amigo dele é difícil, nem te conto! Porque pra gente ficar amigo de alguém, é preciso que esse alguém queira ficar amigo da gente, né? E ele não quer nada com ninguém aqui. Desconfio que ele não queira nada com ninguém em canto nenhum. É mala, Asnalfa, acho que o melhor é mesmo ignorar. E torcer pra, sei lá, a mulher dele ficar grávida de trigêmeos, aí o apartamento vai ficar pequeno pra um bando desse tamanho e aí ele vai ter que se mudar… 😉

      Mas, como diria sabiamente Gloria Gaynor, ‘I will survive!’
      abraço.

  5. Principalmente quando a pessoa acha que é o papa ao soltar a famosa frase: “sou adEvogado”, HAUHUAH, esses dias um cara veio me falar isso na fila de um banco (porque simplesmente furou a fila, e eu, reclamei) e falei pra ele: “ah é??? pois eu também sou advogada, então acho melhor parar a discussao por aqui”… e ele ficou bem quieto… claaaaaaaaaaaaaaaaro que não falei que falta-me o exame da OAB… mas isso é um pequeeeeeeeeeno detalhe, hehehehe, 😛

    • Pois é, e o que tem de adEvogado por aí, né? Toda faculdade agora tem curso de Direito. E umas nem são ‘Direito’, estão mais pra ‘Esquerdo’ mesmo… O sujeito nunca falou isso pra mim diretamente, mas eu provavelmente responderia que aquilo é muito interessante, bom saber que ele é advogado, eu sou jornalista, tem um vizinho que é administrador, outro é artista plástico e designer, tem outro advogado, tem enfermeira, tem biólogo… É só um diploma, oras. Geralmente quem fala demais é porque faz de menos! 😉
      bjk

  6. Mônica,
    tá bão, o cara é mala, das sem alça, etc.
    Entretanto, como você sempre se afirma uma otimista, ‘façavor’: dê uma olhadinha debaixo dele, quem sabe tem pelo menos rodinhas e dá pra levar adiante mediante amáveis pontapés. Lembre-se bem, amáveis…
    Deus é pai!

    • Stélio,

      acho que vou despachar ele num voo entre Halifax e Nebraska, com escala no aeroporto de O’Hare, em Chicago. Quem sabe ele não quebra que nem o violão do Dave Carroll??? 😉

  7. Mônica,
    então retiro o que disse: ele tem que ser sem alça e SEM RODINHAS também, porque aí ele já começa a quebrar ao cair das diligentes mãos dos carregadores e ao levar os suaves pontapés de sua amável pessoa. Quem sabe no aeroporto de O’Hare, em Chicago, ele já não entrega os pontos?

    Esquenta não: uma hora damos um jeito nesse sujeitinho…

  8. Tenho um amigo que conta que o vizinho do 5° andar passava as tardes ouvindo Reginaldo Rossi num volume que excedia qualquer bom senso, audível do térreo à cobertura, ecoando contra o prédio vizinho. Após vários bate-bocas nos corredores do prédio, reclamações generalizadas e duas reuniões do condomínio, o problema continuava.

    Um dia alguém escreveu na porta do apartamento dele: “toda vez que eu tiver que ouvir a sua, você terá que limpar a minha”. Preciso dizer com que material o recado foi escrito?

    Solução escatológica, mas resolveu.

    Já contra “malice inespecífica” é mais complicado, admito.

    • hahaha, tou achando que tem alguém aê com o mesmo problema que eu!!! 🙂
      É pra rir mesmo, né Marilene, que fechar a cara e ficar sofrendo não resolvem os problemas da gente. Não há o que desculpar! Ainda bem que a gente ri dessas coisas, do contrário a vida ficaria bem sem-graça…
      abraço

  9. Eu também estou com o mesmo problema com o vizinho de cima. Ele e as crianças dele ficam o dia todo e a noite toda pisando forte e correndo pelo apartamento, fora as pancadas nas paredes e a arrastação de moveis o tempo todo. Ele não dorme e não deixa ninguem dormir também. Ô pessoalzinho sem educação. Um povo desse não deveria morar em apartamento, pois não tem educação e nem bom sendo para viver em comunidade. Já fiz até promessa (inclusive parece que hj é dia de um santo das causas impossíveis; vou fazer promessa pra esse santo também, pra esses vizinhos se mudarem daqui), mas nao adiantou nada. Alguem sabe de uma simpatia boa aí?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s