Onqotô?

***

Existem coisas que já seriam fantásticas por elas mesmas. Aí, quando alguém tem a brilhante ideia de juntá-las numa só, elas mudam de categoria e beiram a perfeição. Como esse vídeo aí em cima. O poema original é de Gregório de Matos, musicado e arranjado pelo José Miguel Wisnik, cantado por ele e o Caetano Veloso. A coreografia do Rodrigo Pederneiras para o Grupo Corpo é parte do espetáculo Onqotô, de 2005.

Anúncios

10 respostas em “Onqotô?

    • Ficam mesmo, Ana. A Ive, uma amiga que dançava na companhia, vivia estourada! É fisicamente exaustivo, e é impressionante ver como eles conseguem fazer tudo parecer fácil desse jeito. Eu também não perco nada dele, no estilo ‘veja o espetáculo, ouça a trilha e assista ao DVD’.
      bjk

    • Eles estão sempre em turnê mundo afora (lá no site tem a agenda), e costumam aparecer pelos Istêitis. Só não sei se incluem Denver… De cá, não perco um espetáculo. Aliás, costumo até repetir.

  1. Perfeição é a palavra.
    Por coincidência, neste final-de-semana, em Frankfurt, vi um cenário que me lembrou demais o primeiro espectáculo do Corpo a que assisti, aqui no Porto em 92 ou 93. E que, apesar de os ter visto já repetidas vezes em BH, ficou para sempre na minha memória pela sua energia e perfeição.
    Bj

    • Qual espetáculo você viu? Pelo que me lembro (mas não tenho certeza), a coreografia de 1992 foi ’21’. E no ano seguinte eles montaram ‘Nazareth’. Foi um desses?
      bjk

      • Foi o 21.
        Mas acho que a minha ideia de perfeição veio da total surpresa e do deslumbre da primeira vez. Mais do que do espectáculo em si mesmo.
        bj

  2. Nossa, que saudade dessas belezuras!
    21 tinha música de Marco Antônio Guimarães, naquela bela interpretação do Uakti , não era?
    Nazareth também era uma festa, com a música do mestre Ernesto Nazareth e a inspiração de Machado de Assis…
    Mas ainda hoje sinto uma pinçada no coração quando me lembro de Maria, Maria…

    • Vixe, mas Maria Maria ficou beeeeem lá pra trás, né? Assim como O Último Trem… Lindos mesmo. Difícil escolher um trabalho só, gosto de todos! Tive um pouquinho de preguiça de A Criação (Haydn exagerou), mas acho que o próprio grupo achou por bem não repetir, nunca mais dançaram essa coreografia. E Santagustin foi bunitinh’, mas eu também não morri de amores não. Mas 21, Missa do Orfanato, Lecuona, 7 ou 8 Peças, Nazareth, Bach… nóóó, a lista é enorme!
      bjk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s