Curtinhas

* No começo eu até fiquei um pouco tristinha pelos meus amigos, ao ver o time francês ser praticamente despachado pelo México de volta pra casa. Mas aí eu me lembrei daquela mão nada boba do Thierry Henry ajeitando a bola pro gol e tirando os irlandeses do Mundial e minha peninha se fué. Pelo visto, vingança é mesmo um prato que se serve frio e deve ser comido pelas bordas…

* Estava aqui lendo o impressionante número de tweets de gente que dizia lamentar profundamente a morte do José Saramago, e pensando cá com meu teclado quantas daquelas pessoas já tinham efetivamente lido qualquer livro dele…

* Mas é como disse alguém (perdi o @) lá no Twitter: a literatura nunca esteve tão de luto. De um lado, morre o José Saramago. De outro, lançam a biografia da Geisy Arruda

* Advogado do Paulo Maluf manda dizer que o deputado não está enquadrado na lei Ficha Limpa. Claro, claro, como é que alguém poderia achar o contrário, não é mesmo?

* Constatação: algumas pessoas que eu conheço colocam o ano de nascimento no endereço de email, assim:  zé1947@…, joaozinho1977@…, etc. Logicamente nenhum, mas nenhumzinho mesmo, desses endereços é de mulheres. Por motivos óbvios…

* Constatação 2: só se deve comer mexerica (ou tangerina, ou bergamota, dependendo de onde você está) antes de tomar banho. Depois, jamais.

* Olha, não sei você, mas eu acho o Eric simplesmente tudo de bom.

* Ela sentadinha no meu colo, vendo um vídeo com filmagens da família, prestando a maior atenção em tudo. De repente, ao ver um close da câmera na avó, pergunta:
– A vovó já morreu, né?
– Morreu sim, querida.
– E o vovô também, não foi?
– Isso mesmo, o vovô também já morreu.
– Eles agora estão no céu, né?
– Estão sim, os dois estão no céu.
– É… com o Michael Jackson…
Tou aqui até imaginando a cena…  🙂

Anúncios

14 respostas em “Curtinhas

    • Ah, eu vi a da Carla Bruni ali do lado direito da página, uma boa surpresa, a versão dela ficou muito legal! Eric só perde pra Bessie Smith, né, afinal de contas…

      Sabe que eu acho que os avós iriam se divertir muito com o Michael Jackson? Papai gostava muito das coisas dele. 🙂
      bjk

  1. Os avós vão para outra categoria de céu. Junto com as criancinhas. MJ fica bem longe. 😉

    Olha, quero muito que a França vá logo pra casa só por causa daquela mão. Isso não é vingança. É justiça divina (pelo menos, dos deuses celtas). hahahaha

    bjs!
    bom findi!

    • Olha, se tem criancinhas na jogada, Mike tem mesmo que ser mantido numa distância segura, hehehe…

      Pois é, aquele gol de mão pegou mal pra caramba. Tudo bem que a França conta com a fina estampa do Gorcouff (Ai Jisuis, comé que escreve o nome desse moço?), mas os deuses celtas não perdoam. E o que deve ter de irlandês fazendo mandinga por lá…
      bjk e ótimo findi!

  2. Algumas respostinhas:

    – Elazinha é muito fofinha. Vovô e vovó com Michael Jackson, esta eu aposto que nem você conguia imaginar…

    – Maluf, taí um cidadão acima de qualquer suspeita. Sim, porque não existe mais supeita, só certezas…

    – Biografia de Geisy Arruda = Livro de cabeceira de Luiz Inácio

    – Concordo: a mão-boba do hipócrita Thierry Henry tirou de todos os espectadores do mundo qualquer resquício de complacência e solidariedade para com os azuis. Que se mandem pruzinferno, rapidim!

    – Saramago: difícil de ler, parágrafos enormes, mas como conhece da nossa língua!

    – Acústico com Eric é um acepipe para finos paladares em fim de semana luminoso que se inicia

    Beijim,

    Stélio

    • Uau!
      Saramago me dá falta de ar também, com aquela mania de sair pontuando tudo diferente, ou simplesmente ignorando completamente vírgulas, pontos e afins. Mas é mesmo um senhor texto!

      O pior nem foi o Thierry fazer o mea culpa, foi a FIFA não voltar atrás na decisão, sabendo que estava errado. Pelo menos chamar pra um novo jogo, né, os irlandeses estão certos com a braveza toda. Se bem que a braveza termina no primeiro pint de Guinness… 🙂

      Eric acústico é o suprassumo da quintessência. Ninguém toca um blues como ele (pelo menos não na turma dos branquelos…)
      bjk

  3. Eu comecei a ler “Ensaio sobre a cegueira”, que ganhei de presente. Não consegui terminar, por pura questão de estilo. Mas, volta e meia, dou uma olhada nos posts do blog que José nos deixou. Poucos dias antes do seu post sobre a inovação tecnológica BOOK, no último dia 9 para ser exato, publicaram:

    “Começar a ler foi para mim como entrar num bosque pela primeira vez e encontrar-me, de repente, com todas as árvores, todas as flores, todos os pássaros. Quando fazes isso, o que te deslumbra é o conjunto. Não dizes: gosto desta árvore mais que das outras. Não, cada livro em que entrava, tomava-o como algo único.”

    As árvores de Saramago eram meio amedontradoras, sombrias; aí, talvez, resida eu encanto.

    • Do Saramago eu li ‘Ensaio sobre a Cegueira’ e ‘As Intermitências da Morte’. Gostei dos dois, mas concordo que não são leituras fáceis, dessas que a gente senta e vão-se páginas e páginas de uma vezada só. Usando a metáfora dele, não é um bosque, está mais para uma floresta tropical, dessas que a gente avança um tiquinho só de cada vez. Mas que tem um milhão e meio de coisas pra gente ir vendo no caminho…
      bjk

  4. é verdade homem vive dizendo a idade pra parecer mais sábio, e sobre o SARAMAGO, só vi uma pessoa se sincera e dizer que não gostava dos livros dele e leu porque o vestibular obrigou: mau namorado. já eu li cem anos de solidão e memorial do convento.

    • Nossa, pediram pro pessoal ler Saramago no vestibular? Que coisa… Acho que autores como Saramago, Guimarães Rosa e outros não são pra um momento em que fórmulas químicas e datas históricas têm preferência na memória do aluno, né? Acho isso uma ótima maneira de matar nas pessoas qualquer desejo de conhecer uma literatura mais elaborada. Livros como o dele requerem tempo, maturidade e disposição para mergulhar no texto, coisas que definitivamente o vestibular não te deixa fazer de jeito nenhum!

  5. Geisy? Geisy! Geeeeisy!
    Quantas páginas tem a biografia? palavras? letras? espaços?
    É possível biograficá-la?
    Ela vai ler?
    Ela sabe ler? Certamente! Estava na facu.
    Quem escreveria?
    Não é auto, com certeza!
    Meu Deus! que mundo!
    Eu com uns quantos no prelo não caibo num rosinha!
    Também, quem queria?
    Que nicho!
    Geisymania.
    Pestanas, perucas, gloss, sandalias, minivestidinhos, saltinhos, enchimentos, colírios, calcinhas, corpinhos (indaexistem?); que nicho! que nicho! E eu aqui lendo Saramago.

    • Olha, talvez você não anime a encarar um vestidinho rosa-choque, mas quem sabe uma bermuda ou camiseta? Vai ver que é o toque que estava faltando pra sua carreira autoral decolar!!!

      Pois é, esses nichos de mercado aí dando sopa, e a gente ainda insiste em trabalhar! Ô mundo injusto…

    • Não é fofa demais? É que o Michael Jackson foi a primeira ‘perda’ real de que ela se lembra… Na hora a gente nem sabe se ri ou, como diz uma amiga minha, se ‘aperta até sair caldinho’, de tão linda que é… 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s