Curtinhas

* Teve muita gente ficando brava com o Stallone só porque ele falou que filmar aqui na brasilândia é ótimo, dá pra explodir o país inteiro e no final ainda te agradecem e dizem ‘toma, leva um macaco de presente pra você’. Que absurdo, né… Jamais faríamos uma coisa horrenda dessas. Seria uma grande sacanagem com o macaco.

* Mas não demorou nadinha e Sly mandou o seu ‘ops, foi mal aê’ pra galera e pronto, sacudamos as mãos, como diriam os bretões na historinha do Asterix. Gente, precisa levar essas coisas tão assim, a ferro e fogo não, né? Afinal, o título original do filme é The Expendables. Se tivessem traduzido ao pé da letra, ‘Os Dispensáveis’. Achei bem apropriado, acho que vou aproveitar a sugestão e ôba, não vou.

* Da próxima vez que você achar que tá muito difícil fazer alguma coisa, dá uma espiada no Nobuyuki Tsujii tocando La Campanella e lembre-se: ele é cego de nascença. Eu não tocaria assim nem que meus zoín fossem 100%, com visão de raio-X do Superman.

* Eu gostaria muito de saber que masoquismo duzinfernu é esse que coloca um bando de gente por horas na fila pra olhar pra uma flor fedorenta. Tá ‘assim’ de lixão pela cidade, oras, é só alguém ter a ideia de levar umas violetinhas pra lá e deve dar mais ou menos no mesmo.

* Conversando com uma aluna futura-mamãe, fomos pesquisar o significado de alguns nomes. Olha só: Mônica – a Conselheira. (Com licença: huahuahuahua!). Gente, eu não dou conta de me convencer do que eu devo fazer, como é que eu vou aconselhar alguém? Vai ver é isso: só funciona se for na base do ‘faça o que eu digo, não faça o que eu faço’… Porque, ó, eu costumo ser um fracasso comigo mesma!

* Se não tivessem tomado a barca bem antes da hora pro meu gosto, meus pais completariam 50 anos de casados nesta semana.

* Pra terminar: porque um tiquinho de doçura e delicadeza sempre fazem muito bem pro coração da gente.

8 respostas em “Curtinhas

  1. Mônica, fiquei mal na foto, agora.
    Minha conselheira, ao se revelar por completo, deixou-me quase órfão.
    A quer devo, afinal, apelar agora?
    Ao tal de Acácio?

    Beijim de findi,

    Stélio

    PS: delícia D. Canô & Cia …

    • Stélio,
      corre à boca pequena que lá ‘no’ Alemanha tem um polvo porreta pra dar conselhos e dizer pra gente o que fazer… 😛
      bjk

  2. Eu realmente não entendo o japonês. Não, não me refiro à língua (que tampouco falo), mas ao povo. Gente mais esquisita. Acho que sofrem, coletivamente, de síndrome de falta do que fazer. Sem falar que, culturalmente, parecem estar num limbo, entre a tradição e o moderno. Já tive oportunidade de conhecer vários japoneses. Não consegui manter com nenhum deles uma conversa interessante de mais de cinco minutos. Apesar de terem cultura e história tão interessantes, me parecem “vazios”, se é que me entendem.

    Talvez seja por isso que, sem querer ofender japoneses e descendentes (não quero dar uma de Stallone), não tenho a MENOR vontade de conhecer o país, apesar de um grande amigo meu dizer que visitar Tóquio é uma experiência surreal e que quem tiver a chance de ir, não deve deixar de fazê-lo.

    Tudo o que eu acabei de dizer de modo algum diminui o fenômeno que é esse pianista cego. Caraca, o quê que é aquilo?

    • Mu,
      minha experiência com os japoneses sempre foi muito legal, então acho que essas coisas dependem daquele famoso ‘individual de cada um’, né? Tenho vontade de conhecer o país sim, mas a fila de pendências tá gigantesca, e o país tá láááá longe, então não sei se vai rolar, ou quando.
      Pois é, o Nobuyuki é um trem de doido mêêssss…

  3. O significado de Ana é ‘cheia de graça’, e sendo assim tenho de concordar com o que diz o site, parece-me sensato e cheio de razão… por isso, ó ‘conselheira’, se não gostar desse significado pode sempre utilizar o de Heloísa, que significa ‘lutadora’!
    Bjs,
    Ana
    PS: Há um ditado que diz ‘quem é bom a dar conselhos não é bom a fazer o que diz’…ou qualquer coisa parecida.

    • Uai, eu achava que era a Ave Maria que era cheia de graça! 🙂
      Até que eu gostei das explicações sobre a Mônica, sobretudo as partes elogiosas, kkk… Mas com o meu passado esquentadinho, tou achando melhor deixar o ‘lutadora’ da Heloísa em banho-maria!
      bjk

  4. Achei ridículo o Stallone pedir desculpas. Fez críticas corretíssimas – como aquela pertinente ao símbolo do BOPE – e depois voltou atrás porque viu a reação no Twitter “CALA BOCA SYLVESTER STALLONE”. Passou atestado de bundão.

    • Arthur,
      pra falar a verdade, achei estranho o comentário do Stallone. Tenho umas duas ou três entrevistas com ele em vídeo e, em todas elas, eles sempre foi extremamente elegante nos comentários sobre tudo e qualquer coisa. E olha que, pelo menos em uma, o jornalista tava pegando pesado mesmo, mas Sly não deixou a peteca cair.
      Acho que ele tentou fazer uma piadinha e acabou fazendo uma brincadeira boba no Comic e aí percebeu que passou da conta. Não acho que, pelo menos nesse caso dele, tenha sido só por conta da reação do pessoal não. Não gosto dos filmes dele e acho o moço ruim pra dedéu ‘a nível’ de ator, mas mudei minha impressão da pessoa depois das entrevistas que eu vi. Pro que eu já vi dele, o pedido de desculpas fez todo o sentido e não parece ter sido 100% jogo de cena não…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s