A primeira segunda

***
É inevitável. Eu tentei guardar na memória, com o maior zelo e carinho, embrulhadas em papel de presente, as imagens e sensações indescritíveis de acordar de manhã cedo e poder sair pro trabalho sem atropelos. Avenidas com tráfego civilizado, pedestres atravessando as ruas com calma, ausência quase total das vans buzinando na porta de casa, estacionamento fácil. O paraíso existe e atende pelo nome de férias escolares, mas a vida é assim mesmo, uma hora a paz vai pro beleléu, e olha que a gente nem sabe onde é que fica isso. A próxima segunda-feira pacífica já está marcada no calendário: só em janeiro de 2011. De agora pra frente, a doidolândia se instala: o fim do ano deixa as pessoas mais cansadas, as crianças com mais sono e mais preguiça da escola, os motoristas mais impacientes, aí vem a primavera e as chuvinhas e chuvões, o horário de verão pra deixar um bocado de gente mal humorada, o movimento insano das compras de Natal. A primeira segunda-feira de agosto é a pior, porque agora todo mundo começa as aulas ao mesmo tempo. No primeiro semestre tem escola que começa antes do Carnaval, outras só depois, algumas só mesmo em março.

Então eu coloquei meu despertador pra me tirar da cama 15 minutos antes do tradicional, pra ter certeza de que encontraria com o menor número possível de seres irritados, sonolentos e apressados. Até que deu certo, o que em parte foi facilitado pelo fato do meu percurso ser de pouco mais de 3 km entre casa e escritório. Mesmo assim, um ou outro apressado, contaminado pela Síndrome do Coelho Branco, já apresentava sinais inconfundíveis de estresse antes das sete da manhã. Esses próximos cinco meses prometem…

Anúncios

5 respostas em “A primeira segunda

  1. Oi, Mônica, minha linda. Concordo plenamente com sua reflexão de FIM DE FÉRIAS ESCOLARES… Isso mesmo… em caixa alta. Pena que essa primeira segunda feira de agosto tinha que ser logo no dia 2… mais uma de minhas primaveras ficou com gosto do mais rigoroso inverno… Voltar pra sala de aula e encarar a sonolência e o desânimo daquelas turminhas todas lotadas de adolescentes foi um presente de grego. Mas fazer o quê, né?! Bjos de montão.

    • Uai, miniiiino,
      você está colhendo abóboras novinhas hoje?
      P-A-R-A-B-É-N-S e muuuuuitas felicidades!!! 🙂
      Adolescente é fogo, né, não tem meio termo: ou está com aquela cara de sono e tédio, ou então está a mil, aprontando. Preocupa não, isso passa. O problema é que, quando passa, eles já não estão mais com a gente!
      bjk

      • Obrigado de montão. Bjos no fundo do coração.

        PS. Quanto à garotada, vou tentar sobreviver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s