Marido de aluguel

Geralmente funciona assim: a menos que algo semelhante a uma hecatombe doméstica seja iminente, a verdade é que a gente costuma empurrar com a barriga aqueles pequenos consertos e melhoramentos dentro de casa. Enquanto o Armagedon não chega, o festival de improvisos com fita crepe, barbantes, clipes, gambiarras e Super Bonder reina absoluto. Aí, um belo dia, você descobre (como eu descobri) que: um dos varais está meio bambo e é só uma questão de tempo para ele desabar com roupa e tudo na área de serviço; tem uma lâmpada queimada na sala mas você não consegue desenroscá-la do bocal por nada deste mundo; você ainda não pendurou aquele quadro lindão recém comprado porque precisa de uma furadeira de alto impacto; uma das tomadas da sala de TV não está funcionando; a descarga do banheiro de empregada está com pouca pressão, você até conseguiu dar uma melhoradinha por conta própria mas ainda não está legal; tá na hora de levar o carro pra fazer um rodízio de pneus, alinhar, balancear, essas coisas, antes que as chuvas cheguem pra valer, mas você simplesmente não tem tempo de ficar esperando parada que nem um dois de paus enquanto o serviço é feito; você comprou um chuveiro übermegablaster pra colocar no lugar do que está hoje no banheiro da suíte, mas ele continua embaladinho na caixa. Entre outras coisas.

Claro, você pode ser adepta do faça-você-mesma e colocar a mão na massa, e aí pagar pra ver. Pode ser que tenha um marido, namorado, pai ou irmão que adooore esse tipo de tarefa e faça os reparos com a maior alegria (não existem muitos no mundo; se você for uma dessas criaturas sortudas, pode desistir de apostar na MegaSena – já tirou a sorte grande). Talvez você até seja o marido, namorado, pai ou irmão que tenha que ficar ouvindo da esposa, namorada, filha ou irmã ‘você, hein, nem pra consertar essas coisinhas, seu inútil!’. Ou talvez você chegue à conclusão de que é melhor chamar um eletricista, um bombeiro hidráulico, um mecânico e mais não sei qual profissional pra cada um fazer o seu pedacinho e te cobrar um montão de dinheiros por meia horinha de trabalho.

Ou você pode chamar um marido de aluguel. No meu caso, o Herlon, maridão de uma grande amiga minha. Que, generosamente,’ aluga’ o cônjuge pra dar conta dessas tarefas enjoadas (mas ela já mandou avisar que são só essas tarefas meeesmo, viu, que aluguel de marido tem limite!). Uma pessoa só dando conta do trabalho picado de muitos. O que começou como quebra-galho pra um monte de amigos acabou virando trabalho sério. Que agora ele expande para toda a cidade, é só chamar.

Com certeza existem serviços assim em muitos lugares, mas se você estiver em Belo Horizonte, fica a dica: o telefone de contato do Herlon (que, como se não bastasse o que faz, ainda é gente muuuuito boa) é (31) 9792 3230.

19 respostas em “Marido de aluguel

  1. Oi Monica,
    Aqui pelo Rio tem até agência de maridos de aluguel,acredita?
    Acho ótimo pra quem não sabe/pode/quer fazer os malditos serviços!
    Eu faço parte do grupo que arregaça as mangas e faz.aprende no tapa!
    Se fosse pra esperar o patrão aqui em casa…tava lascada!
    Hahahahaha!
    Beijo!
    Afrodite

    • Afrodite,
      eu arrisco algumas coisas também. Mas quando tem eletricidade no meio, por exemplo, eu sou meio medrosa. Passo a tarefa pra frente sem piscar! Até porque tem hora que, pra ficar bem feitinho e bonitinho, melhor mesmo é entregar pra um profissional que saiba bem o que está fazendo.
      Aqui também a gente já acha esses serviços com relativa facilidade. É super prático, principalmente quando é gente conhecida, em quem a gente pode confiar a chave de casa ou do carro. Se é uma família onde as pessoas não param em casa, por exemplo, é uma mão na roda!
      bjk

  2. Olá, Mônica, bom dia!
    Aqui em casa eu mesmo faço muitas coisas.
    Ontem mesmo reinstalei o interfone, que voltou do conserto.
    Minha mulher tirou a sorte grande. Mas ainda continuamos a apostar na Mega-Sena rsrsrs.
    Até de repente!

    • Oi GeGe!
      Sumido… muitas tarefas em casa? 🙂
      Olha, sua esposa tirou a sorte grande sim. Eu nem posso falar muito, tenho sempre gente me dando uma mãozinha quando preciso (outro dia meu irmão veio me ajudar a desvendar os segredos do roteador, que veio com um daqueles manuais de ‘instalação rápida’ que leva horas pra decifrar – nem sei como eu consegui fazer da primeira vez, da segunda tive que pedir um help).
      Mas é isso mesmo, não custa nada dar um reforço com a Mega, né?
      Até!

  3. Muito interessante, esse serviço. Mas fiquei aqui pensando: pras mulheres, tudo bem, mas será que pega bem um homem contratar um marido de aluguel para resolver esses probleminhas domésticos? Será que isso não feriria nossa auto-estima, nosso orgulho próprio?
    Sim, porque nem todos nós, do sexo masculino, viemos com o “gene” do handy-man instalado de fábrica. E muitos de nós somos “donos-de-casa” nos dias de hoje, e via de regra, quando nos deparamos com essas pequenas demandas, preferimos pagar os tubos a encarar os consertos nós mesmos. Mas tem o demoniozinho que aparece sobre nosso ombro, gritando: “Quê que isso, mêrmâo, um marmanjo desse contratando marido de aluguel pra furar parede?! Quê que os mano vão dizer?”

    • Olha, eu acho é que se o gene vem de fábrica, ele costuma ser recessivo em muito marmanjo… 🙂
      O macete é fingir que é amigão do ‘marido de aluguel’ e chamou ele pra tomar uma cerveja e ver o jogo do Atlético no pay-per-view. Afinal, ninguém precisa ficar sabendo do real motivo da visita!!! 😉
      bjk

  4. Esse negócio de marido de aluguel funciona mesmo. Veja só lá em casa, tinhamos uma série de reparos a serem feitos: pia pingando, luz queimada, gaveta caindo e etc. Eu nunca tinha tempo para arrumar porque sempre estou ocupado com trabalho, crianças, videogame, ócio e etc.

    Um belo dia minha mulher me apresentou este serviço:
    – olha, tem esse negócio de marido de aluguel que vem e arruma as coisas em casa. O que você acha?
    – Que mané marido de aluguel, o quê?! E eu vou lá deixar um homem desses colocar os pés aqui no meu quintal? Xá comigo…

    E fui e arrumei tudo. Viu como funciona?

    • Aaahh, esse é o plano B! É o tal orgulho-próprio que o Murilo mencionou ali no comentário dele. Também funciona super bem essa pressão. Afinal, querer que a pia pingando entre em campo em condições de igualdade com o videogame é a maior sacanagem! Só mesmo com uma ameaça velada dessa pra coisa funcionar. Palmas pra sua esposa, estratégia perfeita! 😀

  5. Eu sou do tipo faz tudo, é uma besteira sem tamanho ser assim, não aconselho a ninguém!
    Já meu marido é do tipo contrata serviço.
    Resultado, eu me descabelo querendo fazer, não consigo, passo a bola pro companheiro aqui, ele tranquilamente liga pro serviço, e eu fico mais estressada ainda. pq não só não sou capaz de fazer como tenho que chamar estralhos pra cubrir a falta de capacidade dos dois.
    Eu me auto analiso, mas sempre caio nas minhas próprias ciladas.
    Bj

    • Eu (como boa tudista) até gosto de aprender a fazer algumas coisas. Primeiro porque várias delas são realmente simples e a gente dá conta mesmo. Segundo porque é bom saber, para o caso de uma emergência. Mas na correria em que a gente vive, e com o meu medão de tomar um choque, por exemplo, não tenho o menor receio de chamar alguém. De confiança, claro. Por isso trabalho com as mesmas pessoas há tempos. E, no caso do Herlon, é mesmo uma mão na roda, porque confiança é tudo nesse mundo, né?
      bjk

  6. se tem uma coisa que eu sinto falta é de uma boa faxineira de aluguel…
    Tô precisando horrores aqui, principalmente cau’z’di quê a Erica exige ser carregada no colo o dia inteiro. E ai de vc se tentar se sentar, ao menos…

    • Aiaiai, dona Erica já está mostrando a que veio!!! 😀
      Mas ela tá muito fofa (e no inverno as crianças aí ficam tããão bonitinhas embrulhadinhas!!!), dá vontade mesmo de ficar com ela no colo o tempo todo, né? O seolviço fica pros intervalos!

  7. Pois é, o Herlon pode resolver problemas domésticos (eletro-hidráulicos, dentre outros) inclusive sem precisar usar escadas. É que o cara é grande pra caraça.
    Aliás é o meu maior amigo!

  8. Eu preciso de uma esposa de aluguel. Um simples bifinho que vou passar, sujo uma quantidade de coisa que só vendo pra crer. Aquela pilha de vasilhas sujas na pia chega a dar uma queimação no estômago, um desânimo… as roupas não sei o que faço, mas as camisas parecem que estavam no bucho de um bovino. E a organização do quarto da sala do banheiro, é tanta que um dia até achei que tinha acontecido um abalo sísmico, de grandes proporções aqui em Dourados mas o vizinho me falou que não, que o terremoto foi no Chile. Bom, resumindo Monica eu já nem sei se preciso é de um médico pra cuidar da queimação no estõmago, de uma esposa de aluguel ou tirar a vergonha da cara, colocar um aventalzinho, e fazer esses serviços domésticos que pra homem é mais que tortura, mais que exame de próstata, pior que ver o corinthians ganhar de seu time bebendo cerveja quente, é simplesmente a materialização do inferno.

    • hahaha, quase morri de dó! 🙂
      Pois é, Vivaldi, casa é mesmo um buraco negro quando se trata de serviço, né? Passar camisa social é mesmo a visão do inferno. Conheço gente que, se não tiver alguém pra fazer, manda tudo pra lavanderia sem nem pestanejar. Eu acho que é uma boa ideia ir pegando o jeito aos poucos, né? Eu me mantenho longe das frituras, limpar cozinha depois de encarar um bife com batatas fritas é um martírio.
      Mas a situação é séria mesmo quando se chega no ponto da cerveja quente… 😀
      abraço

  9. Ah em tempo, será que se não colocássemos um aventalzinho, uma toquinha umas pantufinhas nesse tal de Herlon, ele não faria uma limpeza geral aqui em casa. Esqueci do espanador que ele pode usar tanto na limpeza, como também no carnaval pra se fantasiar de alguma ave, um pavão por ex.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s