Questão de ponto de vista

Eu sou uma ingrata mesmo. Fico aqui reclamando do calor, da chuva que vem de repente, da lei de Murphy que prova que o céu sempre desaba assim que eu tiro o carro do lava-jato. Enquanto isso, os meus amiguinhos do lado de lá do Atlântico estão postando fotos e mais fotos do quintal de casa pintado de branco, de um monte branco na rua que deve ser o carro deles, das estradas paradas por causa da neve. Vão contando histórias do tipo ‘custei a encontrar meu carro hoje’, ‘essa nevasca congelou os canos de aquecimento’, ‘vou ter que passar a noite toda no aeroporto porque meu voo foi cancelado’, vão competindo entre eles pelas temperaturas mais baixas (até o momento ganhou a polonesa, com -28 graus, mas isso é só porque a turma da Rússia ainda não entrou na brincadeira). Neve é uma delícia – no cartão postal e na estação de esqui. Na cidade, só é linda mesmo quando cai, branca e fofinha, com aquele silêncio todo em volta. Depois disso, gente, é o caos e não tem a menor graça. Prometi a mim mesma que não vou reclamar do tempo na brasilândia neste verão. A gente tem que colocar as coisas em perspectiva…

Anúncios

14 respostas em “Questão de ponto de vista

  1. Sim, lindona! Neve só é bonita longe dela ou bem quentinha, na tua casinha, com a calefação a 25º!!! Moro na Espanha atualmente e me congelo de frio. E olha que o frio aqui, na cidade onde moro, é de, no máximo, -3º, -4º. O pior é quando a friaca te impede de fazer tuas coisas. Enfim…

    • Ah, neve vista de dentro de casa é uma beleza, né? Na rua, com aquela meleca que fica quando os carros passam por cima, com a gente tentando atravessar a calçada e tem aquele monte branco na frente, tem menos graça. Os extremos (de frio e calor) realmente são bem chatinhos. Tudo com temperança, não é isso que dizem?
      bjk

  2. É sim, a neve nos cartões postais é linda, mas ao vivo, depois que neva… realmente. Disputa de frio? Eu já passei a -35 em Montreal, faz tempo. Doideira. Tenho saudades de Montreal. No verão. 🙂

    • É o que disse o Mark Twain: o melhor inverno que ele teve na vida foi um verão que passou em San Francisco… (ou teria sido Seattle?). -35 eu nunca peguei (meu recorde foi -15), Montréal é dose. Meu irmão morava em Minneapolis, não fica atrás disso. Mais frio que o Alasca, quando o vento dá de baixar do polo e enfiar entre as Rochosas e os Apalaches.

  3. Ai, graças a Deus, alguém reconhece! hahahaha
    Olha, -9 ontem aqui e eu na rua, linda e serelepe andando parecendo um pato, tentando encontrar meus pés embaixo da neve.
    Mas, eu tb dizia odiar o calor do Brasil, os 35/40 graus sem ar-condicionado da minha casa e o sertão brabo… Então, por aqui, tento não reclamar, só faço relatos. Tanto é que ainda nem coloquei foto no meu blog… hehehehe
    Eu tava esperando a neve pra tirar o cinza de novembro. Agora, pelo menos, tem luz! 😉

    Bjs

    • Também acho os extremos bem sem-graça, Eve. A neve é legal, mas funcionar normalmente com o extremo de frio é dureza. A cidade fica linda quando a neve cai – e antes dos carros e a poluição emporcalharem tudo. Tem a maior cara de Natal, né? Com o céu azul, então, e o solzinho, vale a pena sair de casa pra fazer umas fotos!
      Fico no aguardo!!! 🙂
      bjk

  4. Eu mantenho minha posição…tenho INVEJA desse povo que passa frio!
    ODEIO calor sem PRAIA!
    Tem sol?Tem calor?
    Então tem que ter praia!
    Sem chance de outra coisa me agradar!
    E infelizmente não tenho mais 18/20 anos que largava/jogava tudo pro alto e corria pra praia!
    Prefiro então o frio!
    aff!
    Beijo!
    Afrodite

    • Também acho o frio mais civilizado, se ele não vier maluco como o pessoal tá tendo que encarar atualmente. Porque, quando é demais, é tão ruim quanto o calor excessivo. Aqui nas montanhas costumava fazer um frio tão gostoso, agora o tempo endoidou de vez e temos uns dias mais friozinhos… e só.
      Calor né comigo não.
      bjk!

  5. O frio deixa de ser civilizado quando você tem que acordar no mínimo 1 hora mais cedo, para se arrumar com casacos, ir lá fora limpar o carro, voltar e se arrumar para trabalhar com outros casacos. Nesse meio tempo rezar para que não neve e cubra seu carro de novo.
    Passei 16 anos assim. Chega. Agora tenho garagem.
    Ha! Tenho que acordar mais cedo para limpar a neve da saída da garagem…

    • É, Denise, e ainda tem aquela novela de blusa, suéter, cachecol, gorro, luva, casaco, meia, bota (pra sair na rua), aí chega no lugar fechado e tem que tirar o casaco, luva, gorro, cachecol, suéter, não dá pra tirar a bota e a meia e você morre de calor. Aí sai na rua e tem que colocar tudo de novo. A gente vive uma vida de cebola, descascando-se o tempo todo.
      E o carro, claro! Às vezes ele não dá partida de jeito nenhum. Pouquíssimo civilizado, concordo com você!

    • Qualquer coisa entre 18 e 22 graus é super civilizado, né? No sábado chegou a dar 34 graus aqui em BH, na medição oficial. Não é à toa que no fim do dia o céu desaba…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s