Tonta

Quem é professor de línguas sempre tem histórias pra contar. Este causo eu ouvi de alguém que dava aulas de português para um executivo alemão, diretor de uma multinacional aqui no Brasil. Ele queria aprender o máximo no menor tempo possível e para isso prestava muita atenção em tudo e todos, anotava todas as palavras novas e fazia muitas, muitas perguntas. Um dia, perguntou pro professor:
– Professor, o que é tonta?
– Bom, tonta pode ter mais de um significado. Por exemplo, quando a pessoa não está passando muito bem e sente o mundo rodando, ela está tonta. Ou então uma pessoa muito distraída, meio aérea, um pouco boba, a gente diz que ‘fulana é uma tonta’. 
O aluno não pareceu convencido.
– Mas é no telefone…
– No telefone? (aí quem não entendeu nada foi o professor.)
– É, a gente vai terminando a conversa e uma pessoa diz pra outra: “Tontá, a gente se fala depois.”

Agora, vai explicar pra um estrangeiro esse “Então tá…” que a gente diz!

Anúncios

16 respostas em “Tonta

    • Eu acho o máximo, e acho super legal também o pessoal daqui aprendendo inglês. Eu rio desses casos mas é sempre achando genial a maneira como as pessoas tentam desvendar os mistérios de um outro idioma. Tenho alunos incrivelmente destemidos, que arriscam horrores na hora de se comunicarem, e eu dou a maior força. É assim que se faz! 🙂

    • São só os lisboetas que dizem isso? Como os outros portugueses sinalizam o fim de uma conversa? Acho muito legal essas expressões que a gente não tem muito como traduzir…

    • Ah, o estrangeiro aqui passa aperto mêêsss… Imagina algum ‘nativo’ perguntando pra um gringo:
      – Cessassessóinspassaváss?
      (ou, em bom português, ‘Você sabe se esse ônibus passa na Savassi?’)
      É de deixar qualquer um doido… 😀

  1. eu sei que é desagradável ser corrigido, Monica, mas sou um especialista nesse dialeto e vc cometeu um pequeno engano.
    O certo é “Cessassesônspass’n’ssavás?

    • E o mais engraçado é que a gente não se dá conta disso até que um estrangeiro nos pergunte sobre ela. Como ele vê a língua ‘de fora’, aquilo não faz sentido. Acho que deve acontecer o mesmo em qualquer idioma, né?
      bjk

  2. Rs mto bom…
    Realmente é super complicado de explicar certas coisas para gringos…eu nesse carnaval fui cometer a bobagem de explicar desfile de escola de samba para uma americana. Acho q acabei confundindo mais menina que explicando rs…

  3. Hahahahaha. Muito boa, Mônica. E o que dizer dos regionalismos? Tem um tal de “pro mode” usado aqui no Nordeste, sobretudo em algumas cidades do interior, que estrangeiro dá um nó na cabeça para compreender. E tome explicação.

    Bjos de montão.

    • É mesmo! 🙂
      Eu uso esses exemplos do português quando os alunos enfrentam os problemas das expressões em inglês e buscam uma lógica – não tem, gente, é pegar, aprender e usar!!! 😉
      bjk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s