Kyrie eleison

Os bailarinos vestem roupas comuns, como se estivessem a caminho de uma missa de domingo, mas as mulheres têm os cabelos meio desgrenhados, a maquiagem borrada e os sapatos pesados, como se estes quisessem prendê-las ao chão. Os movimentos são de desespero e abandono, corpos ora encurvados para frente, ombros contraídos e joelhos flexionados, ora estirados, cabeças e olhos para o alto, como se tentassem alcançar algo muito acima deles. Mãos e braços fechados junto ao corpo, para logo depois tornarem-se cruzes ou serem atirados para o alto, como se homens e mulheres estivessem ali clamando pela misericórdia divina: Kyrie, Eleison – Senhor, tende piedade de nós. A expressão é de dor e contrição, como se carregassem em si toda a miséria da condição humana.

Já são 21 anos desde que Rodrigo Pederneiras criou esta coreografia para o Grupo Corpo, e de lá pra cá foram muitos outros trabalhos fantásticos, mas eu ainda considero a Missa do Orfanato seu momento mais brilhante. O cenário, pintado pelo artista plástico Fernando Veloso, é um gigantesco painel em tons de marrom e ocre, como que reproduzindo a parede externa de uma catedral mal preservada, deixando os bailarinos ainda menores e mais insignificantes no palco. A luz ‘divina’, em contraste, vem branca e forte do alto, mas nas laterais do palco ela é amarelada, dando a tudo um aspecto mais terreno. Os figurinos são sóbrios, mulheres de vestidos compridos, homens de terno, tons escuros de marrom e cinza misturando-se ao cenário. E a música, claro, a peça que dá nome ao trabalho, composta por W.A. Mozart para a consagração da Igreja do Orfanato, em Viena. E ele tinha apenas 13 anos, pensa bem. Esta é a primeira parte do Kyrie, que abre a missa. Os primeiros três minutinhos de um trabalho que, pra mim, é absolutamente perfeito em todos os sentidos.
***


***

Ficha técnica:
Missa do Orfanato (1989) – Grupo Corpo
Coreografia – Rodrigo Pederneiras
Iluminação – Paulo Pederneiras
Cenário: Fernando Veloso
Figurinos: Freusa Zechmeister
Missa do Orfanato (Missa Solene em Dó Menor, K139), de W.A. Mozart

5 respostas em “Kyrie eleison

    • É bem possível, Pedro, essa é a época de estreias deles por aqui. Eu sei que eles estão preparando espetáculo novo, mas não sei se já está pronto para a plateia…
      bjk

  1. Oi Mônica!

    Os “kyrie” das missas de Mozart são sempre demais, né!?
    Eu fico maravilhado. Muito legal esta coreografia. Gostei.

    Bjos

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s