Erro de cálculo

Foi mesmo um erro de cálculo. O aniversário do menininho estava animadíssimo, ele desfilando orgulhosamente seus três anos numa fantasia de Batman, tema da festinha. Esses buffets infantis cuidam de tudo mesmo, então o trabalho dos adultos resumia-se a manter o copo de cerveja cheio, contar um monte de piadas e de vez em quando lançar aquele ‘olhar de centroavante’, como dizia meu pai, na direção dos brinquedos, para ter certeza de que tudo corria bem com os pequenos. A gente sabe como são essas coisas, né, uma algazarra danada, de vez em quando vem uma criança te mostrar a tatuagem de borboleta brilhante que a moça ali acabou de fazer, enquanto outro exibe os cabelos levemente tingidos de verde e azul, mas preocupa não, mamãe, que sai facinho com água e xampu. Ninguém prestava muita atenção na mesa de doces, uma bat-caverna com um bat-móvel estacionado na porta e um gigantesco boneco do Batman montando guarda do lado.

Aí resolvem ligar um microfone para o animador da festa animar os pequenos convidados (como se isso fosse realmente necessário e eles não estivessem suficientemente agitados): música, dança, gincana, campeonato de grito (Jizúis, quem foi que saiu com essa brilhante ideia?) e eis que o mestre de cerimônias anuncia a chegada de um convidado muito especial. A gente estava mais longe, sem dar muita atenção ao que estava rolando do outro lado do salão mas, de repente, aconteceu. Primeiro passou a pequena correndo e pulou no colo do meu irmão, agarrando seu pescoço. Em prantos. Logo depois passou mais uma em desabalada carreira procurando pela mãe. E mais uma criança, e mais outra. Dava pra ver que algo não ia bem do lado de lá e os menorzinhos, sobretudo as meninas, já não estavam mais achando tanta graça assim na festinha.

Então a gente percebeu o que era. O convidado tinha chegado. Não aquele boneco enorme (mas imóvel) ao lado da mesa de doces, mas ele, Batman em pessoa. Só que, né, em vez de ser uma versão do homem-morcego mais kid-friendly, como aquele Batman da TV com a cueca vestida por cima das calças e uma pança que mal se esconde por trás do cinto de utilidades, aquele era o Batman Cavaleiro das Trevas. Para o aniversariante mirim, fã do personagem, beleza. Pra uma parte dos convidados, momento de pânico só resolvido à custa de muito colo, beijos e abraços. E em meio aos rostinhos apavorados cobertos de lágrimas e à nossa tentativa de disfarçar o riso (porque, gente, a cena toda foi muito engraçada), eis que surgiu um providencial Parabéns Pra Você para salvar a situação e restaurar a ordem na casa.

Anúncios

6 respostas em “Erro de cálculo

  1. vc assistiu Parenthood, com o Steve Martin? Tem uma cena em que o animador da festinha do filho não aparece, e ele incorpora o personagem, um cowboy machão que deveria fazer bonecos de balões.
    Como não sabe fazer, faz uma confusão danada e, diante do olhar curioso da criançada, explica que são os intestinos do último cara que ele matou.
    E a criançada adora, ninguém foge, não.
    Acho que criança americana gosta mais d’uma violenciazinha… rs…

    • Ó que doido, seu comentário estava no spam, e totalmente sem motivo (o anti-spam costuma brecar quando mandam links, mas não é o caso), vai entender!
      Eu vi o filme, mas não me lembro da cena não – mas minha cabeça ultimamente mal lembra qual o meu nome, então… Pois é, os menininhos até que estavam achando legal, mas algumas garotinhas ficaram bem estressadas. Imagina, o universo das festinhas delas é Backyardigans, princesas e tudo o mais, de repente aparece uma coisa daquelas? Mas passou logo, que parabéns pra você e brigadeiro curam qualquer trauma.

  2. HAHAHAHAHAHA, bah…. fiquei imaginando a cena…. coitada das crianças…. melhor seria se tivessem vestido alguém de palhaço pançudo, kkkkkkkkk

    • hahaha, já vi que você estaria lá na nossa turma, morrendo de rir, né? Imagina que eu conheço gente grande que morre de medo de palhaço! Aí é que a coisa ia ficar complicada de verdade…
      bjk

  3. Mas os super-heróis de agora são mesmo muito darks, não são como no nosso tempo não! Eles eram fofinhos, normalmente tinham uma vestimenta com toda a palete de cores do arco-íris, era fácil gostar deles assim… agora toda vez que sai uma versão nova é aquela coisa tipo ‘anti-herói’. Eles que fiquem com os seus anti-heróis, eu não abro mão dos meus coloridos…
    Bjs,
    Ana

    • É mesmo, Ana, hoje em dia eles são cheios de problemas, traumas, dramas existenciais… Antigamente eles eram simplesmente a solução! Até os vilões eram mais simpáticos em outros tempos.
      bjk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s