Instruções para Chorar

Deixando de lado os motivos, atenhamo-nos à maneira correta de chorar, entendendo por isto um choro que não penetre no escândalo, que não insulte o sorriso com sua semelhança desajeitada e paralela. O choro médio ou comum consiste numa contração geral do rosto e um som espasmódico acompanhado de lágrimas e muco, este no fim, pois o choro acaba no momento em que a gente se assoa energicamente.

Para chorar, dirija a imaginação a você mesmo, e se isto lhe for impossível por ter adquirido o hábito de acreditar no mundo exterior, pense num pato coberto de formigas e nesses golfos do estreito de Magalhães nos quais não entra ninguém, nunca.

Quando o choro chegar, você cobrirá o rosto com delicadeza, usando ambas as mãos com a palma para dentro. As crianças chorarão esfregando a manga do casaco na cara, e de preferência num canto do quarto. Duração média do choro, três minutos.
***

(do genial Julio Cortázar e seu ‘Manual de Instruções’, do Histórias de Cronópios e de Famas)
***

8 respostas em “Instruções para Chorar

    • Deve haver ‘método na loucura’, já dizia aquele moço, príncipe da Dinamarca, o Hamlet! Cortázar é absolutamente imprescindível no ‘mundodoido dojindia’… 🙂

  1. Gente, eu nem sabia que existiam instruções para choro. Os meus tem sido bem vulgares. Não preciso dirigir a imaginação para mim ou para patos ou para golfos. Choro com qualquer coisa, até com propaganda de margarina. Agora vou prestar atenção e por as mãos no rosto, tão elegante!

    Só não sei se estas instruções valem para uma martelada no dedo… Ai não tem finesse que dê conta, vai no berreiro mesmo.

    • Sem contar as palavras de ‘baixo escalão’, tão necessárias nesses momentos! 🙂
      O Cortázar tem instruções para tudo nesse manual: instruções para dar corda no relógio, para subir uma escada, para matar formigas em Roma. Não me lembro de tê-las visto quando estive por lá, mas guardei as indicações, just in case…

      Não achei um link em português mas o livro (curtinho, e as histórias de cronópios e famas propriamente ditas são geniais) em espanhol está aqui, em pdf:

      http://tinyurl.com/yth3yp

      bjk

  2. Nada mais íntimo do que a lágrima breve e silenciosa. Que me roubem esse choro e não um beijo. Por hora melhor aprender como matar formigas em Roma que é encontro bem mais fácil de me acontecer. Beijos Mõnica.

    • Mas antes das formigas, o Cortázar também tem instruções para cantar (o que pode ser bastante providencial…):

      “Comece por quebrar os espelhos de sua casa, deixe cair os braços, olhe vagamente a parede, esqueça. Cante uma nota só, escute por dentro. Se ouvir (mas isto acontecerá muito depois) algo como uma paisagem afundada no medo, com fogueiras entre as pedras, com silhetas seminuas de cócoras, acho que estará bem encaminhado, e do mesmo modo se ouvir um rio por onde descem barcos pintados de amarelo e preto, se ouvir um gosto de pão, um tato de dedos, umas sombra de cavalo.
      Depois compre cadernos de solfejo e uma casaca e por favor não cante pelo nariz e deixe Schumann em paz.”

      bjk pra você também!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s