Mimimi

* Uma aluna ofereceu uma explicação plausível: “Isso é Mercúrio retrógrado, daí a comunicação fica meio travada, mas daqui a pouco passa.” Não sei se a informação procede, mas me parece uma justificativa tão boa quanto qualquer outra para essa minha recente falta de inspiração para escrever. Culpar o movimento dos planetas, ainda mais um assim, retrógrado, até que não é uma má ideia. Alunos acumulando aulas para fechar o semestre ainda na primeira quinzena, as compras de Natal, trânsito caótico nos mais variados horários do dia e da noite, festas e confraternizações de fim de ano quase diárias, eis dezembro como sempre foi, e em 2011 não seria diferente.

* Aquele abraço para o pessoal do meu banco, que abre a agência às 10 da manhã e às 10 e 5 coloca metade dos terminais de auto-atendimento em manutenção. Na segunda-feira depois do dia 10. A galera na fila quilométrica manda um beijão pra senhora mãe do gerente.

* Tem gente que aprende a pilotar avião, preparar um irrepreensível canard a l’orange, falar húngaro ou redigir um perfeito agravo de instrumento, mas é incapaz de digitar a senha pra desativar um alarme e logo depois digitá-la novamente para reativar o sistema. Como isso é possível, meus amiguinhos, principalmente nesses tempos incertos de ‘segurança é tudo’, é um mistério que até hoje não consegui desvendar.

* Ainda não entendi muito bem, mas a inspiração deve vir de algum game de computador. Eu lá na frente, na pista da direita, dou seta para entrar na da esquerda. Aí o caboclo que está na esquerda, mas pelo menos uns trezentos quilômetros atrás de mim, dá aquele gás na segunda marcha, desembresta e pisca o farol como se dissesse ‘você só entra nesta faixa por cima do meu cadáver!’ Me ultrapassa e logo em seguida ele faz o quê mesmo? Entra na pista da direita.

* Inception: minha operadora de celular fica enviando mensagens diariamente me perguntando se eu quero receber mensagens promocionais de empresas parceiras. Respondo?

* Uma hora o bate-boca vai chegar aqui, vai espiando. A grande polêmica nesta época do ano nos Istêitis não é a crise econômica de proporções hecatômbicas ou as eleições presidenciais que não estão longe, mas sim se num país de diversidade cultural e religiosa como aquele as pessoas deveriam desejar ‘Feliz Natal’ ou ‘Boas Festas’ umas pras outras. Olha, pode até existir uma discussão interessante e/ou relevante em algum lugar, questões que envolvem a laicidade do Estado (todos os credos ou nenhum?) e as escolhas individuais e tal e coisa, mas cerumano ficar de mimimi todo ofendidinho porque alguém desejou Feliz Natal a um não-cristão, olha, na minha opinião é muita, mas muita falta de louça pra lavar.

* E eu estou adorando todo o bafafá causado pelo livro-bomba que supostamente revela tudo sobre as privatizações na brasilândia no período do Fernandenrique. Olha, sou super a favor das investigações, desde as grandes licitações ao pagamento da conta da lavanderia, sempre e toda vez que houver uma suspeita, mas alguém realmente estava achando que as contas eram limpinhas e transparentes? E esse pessoal que circula por aí salivando de sastifação com essa história toda é ingênuo a ponto de achar que os últimos quase dez anos nestas plagas foram dominados por cidadãos corretos e de bem nas altas e baixas esferas do poder? Pois enquanto esquerda e direita ficam nesse mimimi de definições de nomenclaturas, a turma de sempre de todos os partidos deita e rola para garantir o caviar seu de cada dia.
^^^

Anúncios

12 respostas em “Mimimi

  1. Eu estava aqui me perguntando, onde anda essa moça? fiquei pensando se estava num dos carros que vi na internet levado pela enchente em beagá. Que bom que você está de volta. Mas se quiser um planeta pra desculpa use Jupiter que está visível bem alto do céu a noite, lindo demais, Mercúrio é muito difícil de ver.
    Concordo com o mimimi entre Feliz Natal e boas festas, mas eu confesso que só desejo (pra qualquer um, independente da religião) boas festas ou bom ano novo porque nunca consegui entender o que quer dizer feliz natal, acho que sou muito cartesiano, mas pra mim não faz sentido, feliz o quê, o que é um natal pra alguém?
    Mas o irmãos do norte levam essas questões a sério, agora em círculos científicos nem se usa mais AC/BC, se usa CE (common era) e BCE (before common era) pra não ferir as suscetibilidades não-cristãs.
    Ah, e adorei a foto do cachorro.
    beijo

    • Tudo nublado por aqui. Júpiter, pelo visto, vai ficar pra próxima…

      Na hora do temporal a Isaura aqui estava ‘no tronco’, ainda dando aula. Trabalhar até mais tarde de vez em quando salva a gente de encrencas, né… Só fui saber do tamanho do estrago quase às 11 da noite, quando cheguei em casa de um aniversário e fui checar as últimas notícias. Mineiramente, eu diria que o trem foi feio demais da conta por aqui.

      Nunca me preocupei com o que as pessoas me dizem no Natal, acho Boas Festas de ótimo tamanho – até porque é tudo festa mesmo. Mas não consigo entender quem se sente ofendido, sério. Participo de um grupo de professores de línguas do mundo todo, somos centenas, várias nacionalidades e culturas e crenças, e sempre aproveitamos as ocasiões festivas de cada grupo para desejar paz e alegria uns aos outros. Fazemos isso nos feriados cristãos, judaicos, muçulmanos, ortodoxos, tribais de diversas regiões e aproveitamos para conhecer mais sobre cada um. Ficar ofendido quando alguém nos deseja o melhor, mesmo que não seja parte do nosso universo particular, é algo que eu não entendo mesmo. Uso o Boas Festas / Happy Holidays, mas católica e cristã que sou, não dispenso o Feliz Natal / Merry Christmas. Sei lá, acho que quem fica ofendido com isso tem ‘pobrema’… 🙂
      bjk

  2. então, a turma dos últimos 10 anos (como vc diz) está tendo orgasmos múltiplos por conta do livro que fala da farra da turma que veio antes, né? Isso isenta todo mundo, né? E outra coisa, só eu acho estranho que esse livro esgote toda a primeira edição logo no primeiro dia de venda? Não é abusar um pouquinho demais da inteligencia alheia, não?

    Se é boas festas ou feliz natal, não sei. Sei que quase perdi os dedos dos pés e das mãos congelados pendurando luzinhas do lado de fora de casa esses dias aí para trás, e hoje vou invadir o quintal de uma casa abandonada aqui perto para roubar um galho seco que vai virar arvore de natal, tudo por conta da decisão de D. Patroa (comunicada a mim em carater irrevogável e indiscutível) de que a Herdeira precisa dessas tradições, mesmo que o máximo de religiosidade a que a gente se presta seja ler os (excelentes) livros da Karen Armstrong. Nada não, só queria reclamar mezz. E ainda vou ter que embrulhar os presentes…

    • Pois é, Max, ver as feiúras dos outros é a maior facilidade, né… mas são poucos os que admitem os próprios podres sem aparecer com aquele lugar-comum ‘mas foi ele quem começou!’. Canseira. Acho que tem que sair investigando e enjaulando todo mundo que for pego, não tem que vir com mimimi, ‘não tem meu pé me dói’, como diria minha mâmi. Briga de militante (ou mirritante) tá que nem de torcedor de futebol, céus…

      Ah, super a favor das tradições festivas dessa época: luzinhas, árvores, presentes embrulhados, Christmas carols, Papai Noel, é pacote completo. Outro dia estava vendo num blog de ateus americanos que os pais deveriam contar pros filhos desde cedo que Papai Noel não existe e é tudo fruto do capitalismo consumista nada religioso. Sei não, mas estou prevendo um bando de crianças carecendo de terapia daqui a alguns anos. Vai ver são daqueles pais que avisam pros filhos que iogurte nada mais é do que lactobacilos vivos. Que horror… 🙂

  3. Um dia ainda vou escrever bem assim! Quanto aos planetas, cê sabia que Plutão, que para mim ainda é planeta, passa por dentro da órbita de Netuno? (Rádio relógio informa, rsrsrsrs)

    Beleza de texto, Mônica. Ando meio distante da Internet, por conta do trabalho, mas já já volto!

    Beijim.

    • Ô moço, que sumiço, hein…
      Achei que seu navio tinha ido parar no Triângulo das Bermudas e adentrado um desses universos paralelos! Bom saber que você tá por aí. Ou aqui.
      ‘brigada (pelo comentário e pelo tweet), e eu que nem sabia dessa de Plutão invadir a órbita de Netuno? Netuno deve ficar putão.
      bjk

  4. Como sempre, mais um ótimo post. Só o tópico do avião eu ainda não senti, mas já vi “o filme” de todos os outros, “live motion”. Parabéns pelo seu discernimento e sua alegria. Bom dia para ti!

    • Bom, pelo menos o bom humor a gente tem que manter, né, senão não dá conta dessa doidolândia… Tem sempre um monte de histórias de horror, é até reconfortante saber que não estamos sozinhos nessas aventuras! 🙂
      Ótimo dia pra você também (aqui estamos debaixo d’água!!!)

  5. vou falar sobre o livro, não sobre o conteúdo mas da indiferença da grande imprensa em não comentá-lo qd, no mínimo, o fato de ter se esgotado em um final de semana, sendo considerando um fenômeno editorial, por si, já lhe renderia algumas chamadas..
    O pior é o bloqueio de informação e a falta de isenção ao não noticiar sua existência e, por conseguinte, abordar diretamente a maracutáia que envolveu Serra, e o Governo FHC, quando nas privatizações.
    Se pudermos comparar o denuncismo que ocorre quando se noticia as irregularidades creditadas a essse governo, e o que deixam passar; quando nos trazem mais que fatos,comprovações, do que já suspeitávamos e infelizmente ainda ocorre, temos que ficar atentos e vigilantes pq senão fica tudo por isso mesmo e acabam nos fazendo crer, erroneamente, que é tudo farinha do mesmo saco!
    Desculpe o desabafo mas essa manipulação da informação é algo que me deixa muito pau da vida..
    P.S.: achei uma graça a chamada sobre a chuva aí em BH, espero que esteja, dentro do possível, bem e mesmo vc se considerando sem inspiração para escrever ainda sim é muito criativa..
    bjs
    ana

    • Ana, embora eu seja super a favor de toda e qualquer investigação séria sobre toda e qualquer suspeita bem fundamentada quando se trata dos mandos e desmandos em todos os escalões do patropi, eu não tenho a menor ilusão quanto ao papel da imprensa em geral, sobretudo a grandalhona. Só vão falar alguma coisa quando for conveniente, claro, mas isso acontece em maior ou menor escala no mundo inteiro, infelizmente. O que eu acho curioso é um lado ficar jogando pedra no outro, quando ele mesmo tem seu telhadinho de vidro… Não tenho a menor ilusão quanto a qualquer decisão política que envolva milhões de tostões, seja essa decisão tomada com o partido A ou B no poder. Tem gente que acha que não, mas pra mim são todos farinha do mesmo saco. E olha, tá carunchado que é uma beleza…

      Quanto ao temporal, sobrevivi e nem precisei calçar o pé-de-pato! \o/
      Mas a coisa andou feia em alguns pontos da cidade, em um dia choveu 50% do que deveria ter chovido em um mês (e, sendo dezembro, isso signfica muita água!). Agora começa o jogo do empurra para decidir de quem é a culpa por isso ou por aquilo. Vai sobrar pra São Pedro, já tou vendo tudo… 🙂
      bjk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s