Curtinhas

* Gesto super simpático do Instituto Inhotim: fui até o escritório central (na rua Antônio de Albuquerque, 911, Savassi – fone: (31) 3194-7300) levar doações para as vítimas das enchentes no estado e saí de lá com cortesias para visitar o museu/jardim botânico. Para quem quiser colaborar, o instituto está aberto diariamente das 7 às 20 horas.

Disse o JB que Meryl Streep vai interpretar Clarice Lispector no cinema. Aiai, agora é que os citadores de frases de Clarice do Twitter e Facebook não vão dar trégua mesmo. 

* Não sou muito de ficar assistindo a essas séries dramáticas na TV, mas já deu pra notar que existem dois tipos preferidos dos americanos: médicos e investigadores de crimes. Daí que os coitados dos roteiristas têm que se virar em mil pra ficar inventando variações sobre o tema, de médicos mal humorados e irônicos como dr. House a médicos ‘I see dead people’ como o interpretado pelo Patrick Wilson, de investigadores pseudo-sensitivos como The Mentalist a Dexter, o investigador forense que também é serial killer. Fico imaginando como deve ser uma  reunião de brainstorming dessa turma de criação, deve ser um samba do crioulo doido.

* Eu sou grande admiradora do otimismo dos cientistas. Agora eles estão dizendo que a nossa memória pode começar a ir pro beleléu a partir dos 45 anos. 45! Queridos cientistas, pelo que ando vendo por aí – e por aqui, com esta que ora vos escreve – a coisa já vem desandando bem antes disso, podem acreditar.

* ‘O Último Dançarino de Mao’ – a vida real sempre tem histórias muito mais interessantes pra contar do que a ficção é capaz de criar.

* Gente, quando foi que a palavra check-up começou a ser grafada ‘checape’, que eu nunca tinha visto coisa mais horrorosa? Tá no jornal, achei o fim da dinastia. Enfim, essas coisinhas acabam acontecendo. Daí pra Fêissbuc e nôutchbuk, máuz e uíndous vai demorar nadinha. Uma amiga me disse que outro dia viu leiaute. Alguém faça alguma coisa, por favor!

* Parei dois minutinhos no jogo entre o Denver Broncos e o Pittsburgh Steelers e a única coisa que consegui dizer foi ‘soooool!!! céu azuuul!!!’ Aí a gente entende como o pessoal acima do trópico de Câncer se sente no inverno, com a falta de luz e cor. Nem tive olhos para o bonitón do Tim Tebow, vejam vocês a que ponto cheguei.

* Mas pelo menos no papel de parede do meu computador tem sol e céu azul à vontade (Lagoa dos Ingleses/MG no inverno de 2011 – foto do Jay). Sério, amiguinhos, eu tou mofando…
***

Anúncios

4 respostas em “Curtinhas

  1. séries de tv: sou fã!
    Recomendo, com muita, muita, muita força The West Wing. É para se assistir de joelhos.
    Agora, das policiais, gosto da Law & Order: SVU. E o povo é criativo mezz, impressionante como passam-se as temporadas e o povo ainda continua com talento para surpreender.
    Minha memória já é uma meleca desde os 25, então, esses cientistas estão completamente furados, aponta estudo.
    Broncos vs Steelers: cheguei em casa, liguei o computador e vi o Tebow dando um passe para um caboclo lá fazer um TD. Aí, acabou o jogo. Pô!
    Mas aqui em Denver tá bem frio (- 6 C agora, 8 da manhã), mas o céu tá limpim, limpim…

    • É, foi a primeira coisa que eu pensei quando vi o céu azul: deve estar frio bagarái, esse azul não me engana…
      Não vi o jogo também não, mas dizem que foi ótimo. Sou uma 49er desde criancinha, então… desta vez talvez haja uma esperança! Se os Broncos já derem um ‘côco’ no Patriots na próxima rodada, já me dou por satisfeita, hehehe.
      Ah, West WIng era tudo de bom, não perdia de jeito nenhum. Martin Sheen, se candidato fosse, teria meu voto na hora! Já o Law & Order eu sou tradicional, gosto mesmo do original. O SVU é muito bom, mas tem mais investigação do que julgamento, acho o L&A ‘legítimo’ mais equilibrado. E tem o Jerry Orbach, né, que eu sempre gostei de ver – e pra mim vai ser eternamente o monsieur Lumière, de A Bela e a Fera. Tiraram o Elliot do SVU, fiquei tristinha.
      Minha memória também anda uma eca, mas segundo o meu neurologista de plantão, achar que a cabeça tá ruim é bom sinal. O problema é quando todo mundo vê que você tá ruim e você lá, crente que tá abafando… 🙂

  2. Nesse negócio de memória eu concordo com você. Bem antes dos 45 o motor começa a ratear. A gente começa uma coisa e logo esquece o que estava dizendo, ainda mais nesse assunto sobre séries americanas. Eu, por exemplo, só assisti o jogo de futebol do Broncos e do outro, como era mesmo? Já dizia a Clarice Lispector.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s