tweets

* Por um inconsciente coletivo público, gratuito e de qualidade  (@samarkito)
* Pensando em montar uma banda de axé com thrash metal e batizá-la de OLODOOM.  (@mrguavaman)
* Sexo, drogas e rock n’roll foi substituído por punheta, toddynho e restart.  (@bqeg)
* Devia haver uma espécia de recompensa pra quem acorda cedo pra ir pra academia. Ex:quem malha antes das 9 da manhã perde o dobro de calorias  (@vanifacts)
* Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, os parisienses me olhariam com ~nojinho~ se eu não soubesse francês.  (@mrguavaman)
* Google + é que nem cérebro: Muita gente tem mas quase ninguém usa.  (@paulovelho)
* A programação de chuvas em São Paulo terá nesse domingo sessões às 16h, 18h e 20h. A chuva das 16h será em 3D. A chuva das 20h, legendada.  (@riqfreire)
* Uma música do Michael Jackson que me deixa muito calmo é Rivothriller  (@bqeg)
* É tanto Deus te pague que em breve Meu nome estará no Serasa  (@oCriador)
* Em breve, Shakespeare com hashtags. “Hamlet” virá com #ALOKA depois das falas da Ofélia e #MORRI complementando “the rest is silence”.  (@mrguavaman)
***

Anúncios

4 respostas em “tweets

  1. * Ainda que eu falasse a língua dos homens e falasse a língua dos anjos, os parisienses me olhariam com ~nojinho~ se eu não soubesse francês. (@mrguavaman)

    — Isso é verdade, todos os países no mundo aceitam o inglês, inclusive os asiáticos,
    mas os franceses lhe olham transversos, inclusive se vc falar ‘en français’,
    e não conseguir a mesma velocidade e naturalidade como se tivesse nascido lá.
    Estudei francês e, como um idioma latino, a gramática, especialmente regências verbais,
    são muito irregulares!!!
    Vai na pronúncia: não faz um beicinho, erres gulturais. esquece a sílaba final tônica!
    Bem bolado…
    Talvez ‘Corinthios 13’, não faça parte da Bíblia naquele país.
    Nem a suprema falange ou legião de anjos e arcanjos não superarão a eles.

    Digo assim… mas reconheço tudo de bom que a França tem a oferecer, histórica e culturalmente: filmes, músicas, artes plásticas, museus,,, as divisas do turismo
    ficam por lá, e estão precisando delas!!!

    • Menina, acredita que nunca tive problema com inglês na França? Eu já ouvi muitas histórias, mas comigo nunca aconteceu. É verdade que houve uma época em que o meu francês estava até fluente, eu conseguia conversar com as pessoas e entendia os nativos razoavelmente bem sem eles terem que facilitar a minha vida, mas desde a primeira visita, quando tinha acabado de começar a estudar na Aliança Francesa, os parisienses eram surpreendentemente pacientes e solícitos comigo. Então a minha impressão deles sempre foi meio na contra-mão do que o pessoal costuma afirmar. Eu adoro o país, gosto muito da língua (hoje tou meio enferrujada, mas ainda dá pra ler bem e ouvir razoavelmente) e, claro, quem produz vinho e champagne, pra mim, já começa o jogo com pontos extras! 🙂

  2. Pingback: Rato de Biblioteca » Blog Archive » Semana do Rato

  3. Monica

    Sem dúvida, tenho motivos para apreciá-los como disse acima
    e somados aos que você relatou.
    Ainda pronuncio muito bem, só não dá mais para estabelecer um bom diálogo,
    nisto não tenho mais esperanças, mas me defendo bem.
    O fato é que já assisti a três filmes onde estadounidenses, uma vez em Paris,
    (bom, era um ponto acentuado nestes filmes… e claro! sabemos
    que eles se estranham em diversas áreas, inclusive científica, política então…
    sem comentários) e algumas poucas pessoas que fizeram ‘curto turismo’
    por lá, se sentiram realmente deslocadas e cobradas pelo idioma local!

    Em contrapartida conheci pessoas que permaneceram seis meses,
    outros de dois a quatro anos e não tiveram nenhuma queixa,
    na verdade quem se estabelece,
    tem oportunidade maior de uma aproximação mais cordial e franca!!!
    Pelo amor de Deus — não me fale em vinhos e champagnes — que usava
    com certa frequência, sem exageros, lógico, apenas por prazer e autoestima.
    Mesmo só, pois para mim não precisava comemorar nada, bastava
    um ou dois bons filmes, preparava uma modesta bandejinha de frios,
    nem sabia que existia mundo lá fora!
    Agora… chérie! je ne peu pas!!! ordens médicas. sniff, sniff, sniff, sniff, sniff, sniff…
    Bijous!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s