Maldade

Enquanto tem gente que chora baldes em seu murinho de lamentações por causa do horror ao horário de verão, eu acho essa horinha esticada tudo de bom. Amo mesmo de verdade. E, como sou uma morning person que já está a postos a partir das seis da madrugada, não me deixo abater por ter que pular da cama com as estrelas ainda no céu ou por eventualmente dar uma topada no pé da cama porque fiquei com preguiça de acender a luz do quarto. Mas gente, eu gostaria muito de saber quem foram os responsáveis por essa lei ou sei lá o que é que resolveu que o horário de verão deve ir até o terceiro domingo de fevereiro (até o quarto este ano, porque o terceiro é domingo de Carnaval e nada pode atrapalhar o desfile das mulatas na Sapucaí). Eu acho que quem resolveu fazer uma coisa dessas já se esqueceu que um dia foi criança e adolescente nessa vida, e nem deve ter filho ou netinho pra ajudar a lembrar a dureza que é para os pequenos levantarem cedinho pra ir pra escola (porque levantar cedo pra brincar não é problema nenhum). Imaginem, eles dormiram no domingo ainda no climão de férias e de repente acordaram na segunda-feira com lua no céu. Pra esstudar, ô judiação. Daí que desde ontem eu passo cedo pelos pontos de ônibus e paro ao lado das vans escolares e vejo aquele monte de mini-zumbizinhos sentados no banco de trás, todos provavelmente tirados da cama por papais e mamães exasperados – ‘vai atrasaaaaar…’ – e fico me perguntando por que raios esses legisladores não tiveram a brilhante ideia de encerrar o horário de verão assim que as férias terminam e as aulas começam.
***

3 respostas em “Maldade

  1. Mônica, o grande problema da tua sugestão é que ela é boa e razoável demais. Não é assim que as coisas funcionam no Brasil. Estás remando contra a maré!

    Saca só: tínhamos uma merda de ensino nas escolas públicas durante 180 dias letivos. Os alunos iam mal, não venciam os currículos, saíam-se mal no vestibular, etc. Qual foi a solução encontrada? Somar mais 20 dias de merda de ensino no currículo, claro!

    Agora temos 200 dias de merda de ensino, os alunos continuam mal, o currículo continua não sendo visto na íntegra e pra “resolver” o problema de ninguém passar no vestibular inventaram um sistema injustíssimo de cotas para punir quem estudou mais e passar quem tem menos competência segundo critérios racistas e “pobristas”.

    Assim é que funça no Brasil, minha cara. Faiz parte da curtura nacionar.

  2. Pois sim!
    Sistema de cotas por cor e situação social: SEGREGAR…
    faz parte de sistema DEMOCRÁTICO???
    — E aí Supremo, Poderes competentes, como se classifica mesmo
    o nosso regime político?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s