Porque a gentileza nos mantém à tona


***

Minha mãe era dessas criaturas iluminadas, que acreditava na bondade das pessoas e achava que sempre valia a pena ser legal com os outros e fazer o melhor. Às vezes ela levava uma ferrada daquelas, a gente dizia ‘mãe, as coisas não são bem assim, nem todo mundo é como você’, mas ela não se abatia – se era pra viver rodeada de gente, não valia a pena esperar o pior delas. Fazia as coisas pelos outros com uma alegria e desprendimento como poucas vezes vi na vida e, se os budistas estiverem certos com essa história de reencarnação, acho que ainda devo levar umas boas vidas pra conseguir aperfeiçoar essa habilidade minimamente. Minha mãe dizia que, quando morresse, não era pra gente se preocupar com essas bobagens de cemitério não, pra se lembrar dela bastava enfeitar a casa com um vasinho de flores ou fazer alguma coisa boa por alguém. Em todos esses anos tenho tentado seguir esse pedido direitinho, mas ainda tenho um bocado de chão pra percorrer na segunda parte. Mais do que qualquer pessoa que eu conheci, ela acreditava e praticava o ‘pay forward’ – se não dá pra retribuir uma gentileza, passe a gentileza pra frente, porque a corrente prossegue e uma hora a energia volta pra você. E foi da minha mãe, claro, que eu me lembrei quando me enviaram o link para este vídeo.
***

Anúncios

13 respostas em “Porque a gentileza nos mantém à tona

  1. Mônica, lembro-me bem de sua mamãe na Cultura. Ela era sua aluna do curso Proficiency, era realmente uma simpatia e uma pessoa excelente!!!!

    • Pois é, Angela, ela adorava aquilo ali, acho que foi aluna de todo mundo que dava aulas no turno da noite! Umn dos hobbies dela era estudar línguas, além do português e do inglês, ela se dava super bem no italiano e no espanhol e ainda dava umas arranhadas no francês…

  2. A nossa vida é assim mesmo.
    Tem uma frase que eu gosto e acho que cabe bem aqui.
    “A nossa felidade é proporcionalmente igual ou maior
    a felicidade que a gente proporciona aos outros”
    Abraços meu irmão.

  3. “Nunca é cedo para uma gentileza, porque nunca se sabe
    quando poderá ser tarde demais.” Ralph Emerson

    Monica
    Excelente sua cronica, é algo que deve ser lembrado de tempos em tempos,
    como diziam os mais antigos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s