Aula de latim – ou não

Eliciting. Pergunte a qualquer professor de inglês que já tenha participado de um curso de formação/treinamento e ele provavelmente vai saber o que é. Na verdade, professores de outros idiomas e professores de outras matérias também sabem do que se trata, talvez com outro nome, ou mesmo sem nome nenhum.  Sabe quando você prefere não dar a resposta de mão beijada pro aluno, mas faz perguntas ou cria as condições para que ele chegue até a resposta com suas próprias perninhas? Pois é, você está eliciting, ‘puxando’ as informações que ele já deve ter guardadas em algum lugar da memória e ajudando-o a formular regras, gerar conclusões e generalizações e produzir novos conhecimentos.  Como tudo que a gente aprende de maneira ativa tende a ser lembrado e apreendido com maior eficácia, eliciting faz mesmo todo sentido. A não ser, claro, que você seja o Brian e tenha um professor de latim como este centurião romano aqui, chegado num bullying:
***

8 respostas em “Aula de latim – ou não

  1. Dar resposta de mão beijada pra aluno é um problema. Lembro de uma aula de inglês na escola, na época que morava em Curitiba. Eu tinha uns dez anos. A Ju (que sempre fazia mil perguntas, com vozinha irritante, sobre coisas que já tinham sido faladas) perguntou pra nossa ‘tchítcher’ Luiza o que significava a palavra ‘skirt’. A ‘tchítcher’ respondeu: “Saia”. A Ju fez cara de choro e começou a balbuciar “mas fessôra, eu juro que eu estava prestando atenção e vc não falou o que é um skirt antes, não!”. A ‘tchítcher’ sorriu e disse pra Ju mais uma fez. “é ‘saia’, Juliana”. E não é que a Ju já estava juntando as suas coisas quando finalmente entendeu? (with a little help of her friends… todo mundo gritando ‘de vestir, de vestir!!’)

    • haha, tadiiiinha!!!🙂
      Se a professora tivesse desenhado uma menininha de saia e apontado pra roupa, seguramente teria evitado o drama!
      bjk

  2. Sabe de quem eu lembrei lendo esse post? Sócrates e a refutação. Ele não respondia perguntas com afirmações, ele fazia novas perguntas a fim de fazer a pessoa reconhecer a própria ignorância. Dessa forma ele levava a pessoa a projetar suas próprias ideias e pensamentos e chegar a uma conclusão própria sobre determinada questão… Isso fica bem provado no Mênon que é um diálogo platônico… Sócrates leva um escravo a descobrir e formular teoremas da geometria…

  3. Depois que eu passei 45 minutos tentando eliciting uma anta a resolver UM probleminha elementar de análise combinatória e a besta quadrada ficava olhando para mim a cada dica como um gorila olhando para um ábaco, eu desisti.

    Quarenta e cinco minutos pra descobrir quantas maneiras há de combinar sete canetas e nove tampas, todas de cores diferentes… Para alguém que jurava que ia passar no vestibular de psicologia da UFRGS, nada mais, nada menos, que o mais disputado vestibular do estado…

    Olha, ela me elicited uma falta de paciência para domesticar antas que dura até hoje.😛

  4. inesquecível Brian…
    voltei de novo… estive fora e logo vou te mandar material pro onquefui…
    este logo entenda no sentido de: quando eu colocar a vida em ordem depois de 21 dias sem trabalhar em plena época que dentista mais trabalha…

    mas mesmo que logo seja só alegórico, um dia eu mando…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s