curtinhas

* “Ler bons livros não permite que você goste de livros ruins.” (isola Pribby em carta para Miss Juliet Ashton, no livro ‘A sociedade literária e a torta de casca de batata’). Olha. Tá coberta de razão a Isola, viu.

* Poizintão. Muita gente me falou de ‘O Arroz de Palma’, ganhei no aniversário, finalmente comecei a ler. E olha, parei faltando aí uns 20% pra acabar (um dia eu termino, porque minha esperança de que ele melhore na reta final é maior do que a preguiça de continuar a leitura). Mas nossinhora, que luta inglória! Não o tema, que eu até gosto bastante de histórias de imigrantes, das famílias através dos tempos e tals. Mas alguém precisa avisar pro autor que é totalmente possível escrever um livro para adultos usando orações subordinadas. Frases curtas podem causar um efeito incrível; trezentas e tantas páginas só com sujeito-verbo-predicado-ponto é de dar vontade de tacar o livro na parede.

* “Hemingway suicidou porque aceitou o papel que lhe impuseram, ou o que ele mesmo se impôs. A revista Time escreveu no seu necrológio: ‘Vivia olhando tudo como se fosse pela ultima vez. Estava sempre se despedindo.’ Resolvi fazer exatamente o contrário: estou sempre chegando. Não aceitei a imposição de um caminho que não era o meu, e procuro olhar tudo como se fosse pela primeira vez. Tento a cada dia recuperar esse estado de pureza. Renascer a cada manhã não digo que consiga sempre, mas tento. Como se eu tivesse acabado de desembarcar neste mundo.”  Fernando Sabino, sêolindo.

* Aquela esperança tola que eu cultivava com muito amor lá no cantinho do coração, de que a internêta nos traria uma muito bem vinda pluralidade de informações, ideias e pontos de vista, e que tudo isso seria ótimo para enriquecer os debates sobre qualquer assunto e fazer com que as pessoas aprendessem umas com as outras, olha, tá cada dia indo mais pro fundo do poço um cadinho. Galera hoje em dia não quer discutir, quer ganhar a discussão. Contra/a favor dos testes nos bichinhos, contra/a favor do governo, do aborto, casamento gay, alimentos transgênicos, da liberação da maconha, biografias não autorizadas, decisões do STF, desse ou daquele grupo religioso, nada disso tem importância. Interessa mesmo é a polêmica, o bate-boca, é estufar o peito e gritar mais alto pra não ouvir o outro e assim acreditar que seus argumentos são obviamente espetaculares e imbatíveis. Pelamor, o que foi que deu na cabeça desse pessoal pra achar que tudo tem que ser uma eterna final de campeonato de futebol?

* Primeiro foi o Mirror reclamando que o Brasil não tem condições de sediar a Copa no ano que vem, agora o Chicago Sun- Times fala que os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio vão ser um baita fiasco. Não sei por que esse pessoal lá fora tá surpreso e fazendo esse alvoroço todo. Passaram anos enchendo tanto a bola do Luiz Inácio que no final o senhorinho se comparou a Nelson Mandela e entrou naquela vibe-egotrip-Leonardo-di-Caprio de “I’m the king of the world”, daí resolveu que era pra sediar até torneio internacional de par-ou-impar. Poizé. De repente descobriram que não era exatamente bem assim. Tivessem perguntado pra um bocado de brasileiros por aqui lááá atrás, em 2007 mesmo, e a gente já teria cantado a pedra pra eles e explicado como as coisas (não) funcionam por estas bandas. Agora é respirar fundo, sentar à margem do rio Piedra e chorar, amiguinhos.

* Caetano, Paula, Chico, Milton, Djavan, Roberto, adôuro o otimismo de vocês. Pouco me importa o que suas biografias não autorizadas revelariam assim, de tão chocante e inimaginável sobre suas pessoínhas, quase tudo vocês provavelmente já contaram pra Caras ou já saiu publicado em algum site de sub-celebridades. O que me preocupa mesmo, de verdade, é de repente a gente ter que ler biografias que afirmam que Jair Bolsonaro e Renan Calheiros são homens de bem ou que José Sarney ama e faz tudo pelo Maranhão. Pensem nos perigos de só se poder contar uma história por um único ponto de vista, meus queridos, até parece que vocês não estavam aqui nos anos negros da ditadura. Não se deem tanta importância, mas preocupem-se um pouquinho mais com o que pode virar a nossa História. Tenham a santa paciência.

6 respostas em “curtinhas

  1. É, eu não tinha pensado nessa hipótese…um livro de biografia autorizada do Jair Bolsonaro!Ai meu Deus… com a lei atual o escritor teria que “combinar” com ele as bases financeiras e históricas do livro. Se fosse o Hemingway o escritor, ele teria o motivo de ter metido um balaço de cartucheira na goela.

  2. De um lado, pessoas públicas que querem preservar a sua privacidade; de outro, pessoas que defendem o direito de publicar sem censura. Acho que há vida inteligente dos dois lados, não é não? A questão é saber as intenções por trás das ações de biógrafos e biografados. Quando é invasão de privacidade e quando é apenas a revelação de coisas pessoais de uma pessoa pública (que muitas vezes são importantes para a biografia)? Quando é legítimo proibir a publicação de algo e quando é censura rasa? Quando o biógrafo tem a intenção de realmente biografar alguém (função de grande importância) e quando ele quer usar o biografado apenas como pretexto para lucrar (muitas vezes com irresponsabilidade sobre o que é publicado)? Se a gente pudesse saber os pressupostos de biógrafos e biografados, seria mais fácil. Mas para isso teria que ter várias biografias sobre os biógrafos e biografados, ou seja, só se eles autorizassem – ou não. Um abração!

  3. Sabe qual palavra me caracteriza neste momento? Encantada, absolutamente encantada com o seu site… Nao sei se a dona desse site é o eu lírico das cronicas, mas devo parabenizar pelo senso crítico e ao mesmo tempo de humor que é mostrado a cada post… Sou uma menina de 16 anos (pre-vestibulanda, oq me deixa bastante assustada) e a escrita faz parte do meu cotidiano e terá grande influencia na escolha da minha profissao! É por isso que garimpo textos e cronicas diariamente afim de expandir meus conhecimentos! Com meus 16 aninhos de “experiência”, consegui ver a qualidade desse site! Meus sinceros parabéns e que vc nao deixe morrer essa vitalidade e qualidade nos textos! Bjs

    • Puxa, Vitoria, obrigada! Você não imagina como fico feliz com seu comentário! Meu blog anda meio desatualizado e juntando poeira – muita coisa pra fazer ao mesmo tempo – e ler seu comentário me fez ter mais vontade ainda de retomar as postagens! Eu sempre me divirto muito aqui e adoro ler o que as pessoas têm a dizer, valeu demais! Não some não, eu tou voltando!🙂 Bjk

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s