curtinhas

* Entra o mês de dezembro e eu automaticamente abandono o mimimi que se apossa de mim em novembro, caio no clima das festas de fim de ano e me divirto horrores com o combo ‘enfeites, presentes e reuniões etílicas’. Se você joga no time dos que odeiam Natal e Ano Novo, é bom manter uma distância segura de minha pessoinha, porque eu entro na vibe Jingle Bells e adoro tudo. ‘De menas’ o trânsito insuportavelmente caótico, claro, esse é um teste em que a minha paciência zen-budista sempre tira nota zero.

* Os moços (já bem grandinhos na casa dos 40 anos, diga-se de passagem) resolvem dar um rolé no sábado à tarde e explodem o Porsche num poste, a mais de 150 por hora numa área urbana onde a velocidade máxima é 70. Fiquei com muita pena e tal, moço tinha filha, fazia sucesso no cinema, estava empenhado em causas humanitárias pelo mundo afora, era bonito pra dedéu e tudo o mais. Mas olha, uma morte besta dessas tem muito mais a ver com falta de juízo na cabeça do que com fatalidade.

* Kyle Lambert é um artista inglês que faz ilustrações e animações sensacionais. E como papel não é suficiente pro seu talento, ele também pinta com os dedos. Num iPad. E faz coisas absolutamente sensacionais, como este retrato do ator Morgan Freeman.

* Daqueles mistérios pro Poirot investigar: o helicóptero tem dono, a empresa de onde saiu o helicóptero tem dono, a fazenda onde o helicóptero pousou tem dono, o piloto que pousou o helicóptero da empresa na fazenda tem patrão, o voo foi encomendado e pago por alguém. Já a droga – e não estamos falando de uma trouxinha desavisadamente colocada no bolso do seu paletó, meu amigo, estamos falando de quase meia tonelada – essa é filha bastarda de pai desconhecido.

* Eu já tou velha pra pelo menos duas coisas nessa vida: perder o sono por causa da opinião dos outros sobre a minha pessoa e pra achar que avaliações subjetivas são algo que se deva levar minimamente a sério. Dito isso, mas que coisa mais idiota e sem-noção esses aplicativos Tubby e Lulu, que permitem que seus respectivos usuários e usuárias saiam por aí dando notas de avaliação nas pessoas, hein? Em tempos de cyber-bullying, discussões sobre invasão de privacidade e de jovens cometendo suicídio por terem suas vidas expostas nas redes sociais, programinhas como esses mostram que no fundo, no fundo, o cerumano continua sendo uma criaturinha muito da besta.

* Blue Jasmine. Olha, acho que há muito tempo não via o Woody Allen detonar tanto um personagem protagonista. Depois da temporada de filmes mais levinhos que ele andou fazendo, esse é um soco no estômago. E Cate Blanchett reina absoluta. Vale a pena demais, e se você se lembrar de ‘Um Bonde Chamado Desejo’, não é mera coincidência.

* Coisa marrrrlindinha e delicada esse vídeo da francesa Emilie Simon, com uma animação com a maior pinta de Tim Burton…
***

2 respostas em “curtinhas

    • Ah, eu vibro também. Nem a chuva (que por aqui costuma ser forte e constante nessa época), nem a neve e o frio (quando é pra comemorar lá fora), nem os quilos a mais (janeiro taí pra dieta, né?), são capazes de abalar meu entusiasmo.🙂

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s